telefones

(11) 3822 3312
(11) 3666 2465

Abortamento de Repetição

ABORTAMENTO DE REPETIÇÃO

O que é?

O abortamento de repetição ou aborto espontâneo se caracteriza como uma interrupção da gestação que ocorre muitas vezes sem que as mulheres se deem conta de que estão grávidas. Em algumas ocasiões, as mulheres percebem sangramentos após o atraso da menstruação e nem desconfiam que estão abortando um embrião, já que o abortamento de repetição não deixa nenhum tipo de sequela. Este aborto só é considerado como espontâneo se tiver acontecido até o quinto mês de gestação. Estima-se que o abortamento de repetição acontece entre quinze e vinte por cento dos casos de gravidez. Além disso, necessariamente ele acontece quando o feto possui está pesando menos de quinhentos gramas. Caso contrário, os episódios de interrupção de gestação são nomeados como partos prematuros.

Causa:

É difícil ser preciso sobre o que motivo que leva ao abortamento de repetição. Existem diversas causas que envolvem anomalias fetais e malformações que levam à interrupção da gravidez. Além da insuficiência cervical, existe ainda a possibilidade de ocorrerem alterações na placenta ou no útero e ainda de a paciente apresentar infecções na cavidade vaginal que prejudiquem o nascimento do bebê. São casos que ocorrem geralmente após cinco meses de gestação. Há ainda a possibilidade de ocorrerem anormalidades cromossômicas que impeçam um desenvolvimento natural do embrião como é o caso da gestação molar e da gravidez anembrionada, em que o feto não se desenvolve.

Quando a mulher já sofreu dois ou mais abortos de repetição, as chances do terceiro aumenta. Além disso, é preciso analisar a existência de problemas genéticos ou congênitos em outros familiares próximos.

Muitas mulheres acreditam que o abortamento de repetição acontece quando percebem um grande volume de sangue sendo expelido de seus corpos. Isto não necessariamente quer dizer que sejam sinais de abortamento de repetição. Mas ao perceber o sangramento, as mulheres devem imediatamente consultar seus médicos, que pedirão um ultrassom para verificar a possibilidade de um abortamento de repetição ocorrer. Além disso, o exame será importante para poder descartar o risco de uma gravidez ectópica.

Em algumas situações, o que pode ocorrer é um fenômeno chamado de “gestação química”, no qual, apesar de os exames de sangue e urina detectarem que a mulher está grávida, o feto não se implanta no útero do modo correto.

Existem algumas complicações que aumentam as chances da gestante sofrer um abortamento de repetição, além dos problemas na cavidade vaginal. Entre eles, os problemas de tireoide, doença renal ou diabetes. Porém, o risco de um abortamento de repetição é bem menor se estas complicações forem controladas. Outra causa de abortamento de repetição é o uso de medicamentos específicos como os anti-inflamatórios não-esteroides. Alguns hábitos pessoais também devem ser evitados durante a gravidez para impedir os riscos de um abortamento de repetição acontecer: o costume abusivo de beber, fumar e usar drogas como o ecstasy. Recentemente, estudos apontaram um fator curioso: o hábito de beber quatro xícaras ou mais de café também pode ser um agravante na gravidez que aumenta a possibilidade de ocorrer um abortamento de repetição. As infecções, das mais comuns às mais graves, também são grandes perigos para as gestantes, incluindo doenças como HIV, sífilis, gonorreia, citomegalovírus (vírus da mesma espécie que o herpes), rubéola, caxumba e listeriose. Outro fator determinante da ocorrência de abortamento de repetição é a faixa etária da mulher. Após os 40 anos, a chance dele acontecer dobra em relação à faixa dos vinte anos.